top of page
Buscar

Explorando o Microbioma do Oceano Atlântico: um retrospecto das contribuições da UFSC

Em comemoração ao Dia Mundial do Microbioma, estamos apresentando as atividades da nossa parceira do AtlantECO, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e sua contribuição para uma melhor compreensão do Microbioma no Oceano Atlântico.


Nos últimos anos a UFSC tem se empenhado em divulgar o AtlantECO e seus pilares de pesquisa por meio de eventos chamados "Port Calls" ao longo da costa brasileira. Participaram também de expedições científicas a bordo dos Veleiro Tara e ECO, quando foram coletados novos dados físico-químicos e amostras da comunidade planctônica. Eles também têm feito cursos de capacitação para que os pesquisadores brasileiros se sintam aptos a trabalhar com os protocolos de amostragem e processamento desenvolvidos no AtlantECO. Vejamos algumas dessas atividades com mais detalhes.


Disseminação e Divulgação

Os Port Calls do AtlantECO são eventos de divulgação organizados em diferentes cidades da costa brasileira situadas na rota de navegação das nossas expedições científicas, com o objetivo de divulgar, compartilhar e agregar os conhecimentos científico e popular. Por exemplo, durante uma de nossas expedições, a equipe coorganizou eventos em Belém (RN), Rio de Janeiro (RJ), Paranaguá (PR) e Itajaí (SC). Estes eventos, que duram cerca de 5 dias, contaram com a visitação de 40 grupos escolares de escolas públicas e privadas, com cerca de 1.200 alunos atendidos e mais de 2.000 visitantes, incluindo moradores locais e gestores públicos. Além disso, foram realizados um total de 10 ciclos de palestras, mesas redondas e cursos de capacitação. Cada evento demanda um grande esforço e a equipe do AtlantECO pôde contar com o apoio de 80 voluntários e parceiros de diferentes universidades das cidades atendidas.


Em outubro de 2022, a equipe participou da 19ª SEPEX da UFSC. O estande All-Atlantic Exhibition com o tema “O Oceano Atlântico Sul” reuniu os sister projects da UFSC. A ação teve o objetivo de divulgar de forma integrada os cinco projetos de vanguarda realizados no Atlântico Sul, que representam um grande esforço da comunidade científica internacional para estudar o oceano menos conhecido do planeta.


Amostragem e capacitação

Entre agosto de 2021 e setembro de 2022, cientistas brasileiros participaram das expedições de pesquisa a bordo do veleiro Tara na Missão Microbioma, a principal expedição do projeto ao longo da costa brasileira e em águas internacionais. Os embarques foram fundamentais para a capacitação da equipe na utilização dos protocolos de amostragem e análise desenvolvidos no projeto AtlantECO. Em terra, a equipe da UFSC promoveu cursos para o treinamento de acadêmicos das Ciências do Mar no sentido de torná-los aptos para futuros embarques, com um conhecimento prévio sobre a lógica da linguagem dos protocolos, as estratégias de amostragem e suas adaptações para cada contexto local.

Em seguida, a equipe da UFSC iniciou a expedição de pesquisa do AtlantECO a bordo do Veleiro ECO com a primeira etapa focada em entender o impacto do Rio Itajaí-Açu na zona costeira adjacente em termos de microbioma, microplásticos e variáveis biogeoquímicas. Esta etapa foi a primeira de uma série planejada a bordo do Veleiro ECO ao longo da costa brasileira. Durante os nove dias a bordo, a equipe trabalhou em cinco estações de amostragem por aproximadamente 10 horas diárias. Em cada estação foram realizados cerca de 40 protocolos de amostragem com uma média de 85 amostras coletadas por dia e 440 amostras no total que serão utilizadas para análises genéticas, taxonômicas e biogeoquímicas.


Algumas das amostras coletadas no Rio Itajaí já estão sendo analisadas na UFSC, incluindo análise de imagens feitas com o Planktoscope, um instrumento óptico automatizado para captura de imagens de amostras de plâncton. Para tal, a equipe da UFSC foi treinada pela Dra. Gleice Santos Souza, pósdoc do Projeto AtlantECO pela Universidade de São Paulo (USP).


Além do envolvimento nas expedições de pesquisa, a equipe da UFSC participou do piloto da iniciativa All-Atlantic Ocean Microbiomes Sampling (AAOMS) com outros parceiros brasileiros do AtlantECO: UFSCar (coordenação geral com a UFSC), UFPA, UFRA, UFC, UFRN, UFRPE, UFPE, UFSB, IEAPM, USP, UNIFESP e FURG. Todas as equipes dessas instituições foram a campo, coletaram e processaram as amostras seguindo o mesmo protocolo internacional. Originalmente implementado como o Ocean Sampling Day desde 2014 em todos os oceanos, esta foi a primeira vez que pesquisadores do Brasil aderiram à iniciativa. Esta campanha piloto de 2022 formou uma equipe bem capacitada para os próximos dias do AAOMS.



22 visualizações0 comentário
bottom of page